22 ERROS FINANCEIROS QUE REALMENTE PODEM CUSTAR CARO

Por MSN

Veja dicas para começar sua Educação financeira!

 ERROS FINANCEIROS QUE REALMENTE PODEM CUSTAR CARO
ERROS FINANCEIROS QUE REALMENTE PODEM CUSTAR CARO

 

 

 

COMO TER CERTEZA QUE SUA IDEIA DE NEGÓCIO É REALMENTE INOVADORA

Empreendedor não pode ter medo de validar a sua ideia de negócio com outras pessoas

Por pegn

Para consultor do Sebrae-SP, boas ideias devem ser compartilhadas
Para consultor do Sebrae-SP, boas ideias devem ser compartilhadas

Um dos maiores erros que um empreendedor pode cometer é ter a certeza de que a sua ideia é realmente inovadora sem ao menos testar ou falar com alguém sobre ela. Em muitos casos, isso acontece por medo. Como ninguém quer ver sua ideia fazendo sucesso na mão de outras pessoas, alguns empreendedores têm pulado a fase de validação do conceito para partir diretamente à execução do negócio. 

 

Confira:

1. Paixão

“A boa ideia começa com uma paixão”, diz Pereira. Para o consultor, esse fator é essencial para ela se desenvolver bem, porque se o empreendedor não for apaixonado pelo seu negócio, “na hora que ele tiver que passar por dificuldades, vai ser mais difícil não deixar sua ideia morrer.”

 

2. Solução

O negócio de sucesso é aquele que resolve problemas. Na visão do especialista, “se a ideia traz uma solução para o mercado, pessoas pagarão por isso”. Para isso, é importante validar se a sua ideia realmente é uma solução. “Há muitos empreendedores que passam muito tempo trabalhando em algo que resolve um problema que não existe.”

 

3. Resposta

Outra importante atitude que o empreendedor deve manter é a inquietação, sempre buscando saber como as pessoas estão reagindo ao seu negócio. “Essa curiosidade deve ser constante na vida do empreendedor. O negócio tem que ser manter em evolução, sempre focado na resolução de problemas dos seus clientes.”

 

4. Equipe

“Ideia boa começa com pessoas boas”, afirma o consultor do Sebrae-SP. Por isso, assim como no exercício da oficina da Feira do Empreendedor, é importante se cercar de pessoas que complementam o seu projeto. “Empreendedor sozinho não tenha em lugar nenhum”, diz Pereira.

 

 

 

SEM CRÉDITO NO BANCO? VEJA OPÇÕES MAIS BARATAS PARA O SEU NEGÓCIO

Por MSN

Emprestimos para empreendedor
Emprestimos para empreendedor

 

O crédito oferecido por bancos tradicionais a empreendedores sempre foi restrito. Mas a crise econômica piorou a situação: os bancos, mais avessos ao risco e temendo o aumento da inadimplência, reduzem ainda mais a oferta de empréstimos. Como resultado, o micro e pequeno empresário encontra poucas opções para ganhar fôlego financeiro e paga caro por elas.

 

Contudo, sites como Biva, Nexoos, Lendico, Geru, CredisferaCreditasRapidoo, que atuam como correspondentes bancários, buscam mudar essa realidade ao oferecer taxas de juros mais baixas para mais empreendedores. Isso é possível pela diminuição na burocracia do processo de tomada do dinheiro, custos menores com pessoas e estrutura da empresa e uma análise de crédito mais flexível – todos graças ao uso de novas tecnologias e ao caráter digital dos negócios.

 

O Biva e Nexoos atuam no modelo de peer to peer lending, que ainda engatinha no Brasil, mas já é bem desenvolvido em outros países. O modelo de empréstimo consiste em unir pequenas empresas a investidores, pessoas físicas interessadas em obter rentabilidade com os juros cobrados nos empréstimos. Como o risco é diluído entre um grupo de investidores, é possível conseguir mais dinheiro com juros mais baixos.

 

Já o Creditas oferece apenas empréstimos com bens em garantia, como imóveis e veículos, enquanto o Rapidoo atua na modalidade de antecipação de recebíveis (factoring) e Lendico, Geru e Credisfera no crédito pessoal, que acaba sendo usado por microempreendedores.

 

Veja as taxas de juros oferecidas por cada um deles e compare:

SITE TIPO DE EMPRÉSTIMO TAXA DE JUROS VALOR DO EMPRÉSTIMO PARCELAMENTO REQUISITOS
Biva Coletivo sem garantia, para capital de giro; expansão comercial; aquisição de equipamentos e refinanciamento de dívidas 1,7% a 6,3% ao mês R$ 3 mil a R$ 500 mil Até 24 meses Micro, pequenas e médias empresas com data de fundação superior a 15 meses
Nexoos Coletivo sem garantias para capital de giro, expansão da empresa, refinanciamento de dívidas com pessoas físicas interessadas em investimento mais rentáveis 1,4% a 2,6% ao mês R$ 25 mil a R$ 200 mil Até 24 meses Faturamento mínimo de R$ 250 mil ao ano e pelo menos 2 anos de CNPJ ativo
Lendico Empréstimo pessoal sem garantias 2,76% a 6,88% ao mês R$ 2,5 mil a R$ 50 mil Até 36 meses Análise de crédito
Geru Empréstimo pessoal sem garantias 2% a 5% ao mês R$ 2 mil a R$ 50 mil Até 36 meses Não concede empréstimos para pessoas jurídicas, mas autônomos e micros/pequenos empresários podem usar a plataforma utilizando seu próprio CPF
Creditas Com garantia de imóvel ou automóvel 1,15% a 3,5% ao mês R$ 2 mil a 50% do valor de imóvel 24 meses até 20 anos Imóvel em nome próprio ou veículo que pode estar até 50% financiado. O empréstimo não pode ser feito em nome da empresa, mas pode ser utilizado um bem comercial.
Credisfera Empréstimo pessoal sem garantias 3,4% a 8,9% ao mês R$ 3 mil a R$ 15 mil Até 18 meses CPF válido, ter entre 21 e 65 anos, ser titular de uma conta corrente ou de poupança, comprovante de residência, comprovante de renda (acima de R$ 1,5 mil) e documento de identificação válido
Rapidoo Factoring (antecipação de recebíveis) 4% a 6% ao mês Até R$ 40 mil De acordo com o prazo de pagamento do título Fornecer serviços ou produtos para outras empresas, ser emissora de Nota fiscal eletrônica da Receita Federal, estar sediada no estado de São Paulo e não estar negativada

 

Como funcionam

O Nexoos tem 500 investidores ativos e já concedeu mais de 8 milhões de reais em empréstimos desde sua fundação, em 2014. É uma média de 100 mil reais para cerca de 80 empresas, que faturam em média 250 mil reais por ano. As taxas variam de 1,4% a 2,6% ao mês. “Para formar a taxa, consideramos o grau de risco do negócio e a capacidade de a empresa honrar o pagamento”, conta Daniel Gomes, CEO do site.

 

O diferencial do Nexoos com relação a um banco tradicional, conta o executivo, é sua análise de crédito. “Conseguimos selecionar melhor para quem vamos emprestar o dinheiro, o que nos permite cobrar uma taxa menor pelo serviço. Além disso, temos um modelo que consegue analisar o histórico do empreendedor a partir de informações encontradas em redes sociais e também feitas por clientes da empresa em resenhas postadas em sites”.

 

Daniel afirma que, ainda mais em época de crise e baixa dos juros, os investidores optam pelo modelo em busca de diversificação de investimentos e maior rentabilidade. Os empréstimos são utilizados principalmente para capital de giro. “As empresas geralmente nos procuram com dificuldade de caixa. Seus clientes estão inadimplentes e começam a pedir um prazo maior para pagamento. Então, elas precisam de mais fôlego financeiro para sustentar as suas atividades”. Também buscam este tipo de empréstimo empresas que já têm dívida, mas optam por trocá-la por uma mais barata.

 

Como qualquer instituição financeira, o Nexoos aciona um escritório de advocacia especializado em cobrança caso o empreendedor atrase as parcelas do empréstimo por mais de 60 dias. Também cobra uma taxa para emprestar o dinheiro, que é de, em média, 2% do valor.

 

O Nexoos não concede empréstimos para microempreendedores. “Não compensa para a gente”, diz Gomes. Já o Lendico, apesar do foco em pessoas físicas, pode ser uma opção para o público que não é atendido pelo modelo peer to peer. “Hoje 20% das pessoas que nos procuram buscam empréstimos para investir em um negócio próprio”, diz Marcelo Ciampolini, diretor do Lendico.

 

As taxas de juros no site de crédito pessoal variam de 2,76% ao mês a 6,88% ao mês e o valor dos empréstimos pode chegar a 50 mil reais. No entanto, o site empresta, em média, 8 mil reais. “O valor é relevante e pode ser usado como capital de giro e para compra de maquinário, por exemplo”, diz o executivo.

 

No caso de empreendedores, a restrição que o Lendico faz está mais relacionada a empréstimos nos quais o dinheiro será utilizado para começar o negócio. “Nesse caso, olhamos com mais cuidado para quem está pedindo o empréstimo antes de emprestar. Buscamos saber se o empreendedor tem experiência ou está desempregado há um mês e resolveu empreender pela primeira vez. É diferente de alguém que está buscando dinheiro para investir em um negócio que já está funcionando: o risco é menor, neste caso”.

 

Para quem está com contas atrasadas e quer solucionar a situação, uma opção é buscar o Rapidoo, que antecipa recebíveis como forma de dar fôlego financeiro para a empresa, cobrando taxas que variam entre 4% a 6% ao mês.

 

O diretor Caspar Gerleve conta que as empresas que buscam essa modalidade de crédito faturam até 200 mil reais. “Para este empresário, é difícil conseguir empréstimos nos bancos, ainda mais na rapidez que necessitam”. No Rapidoo, um software torna o processo mais automatizado e permite aprovação do crédito no mesmo dia. A análise de crédito considera o também perfil do cliente da empresa que irá realizar o pagamento, e não apenas o de quem está pedindo o dinheiro de forma antecipada.

 

Outra forma de quitar uma dívida é buscar um empréstimo que utilize bens como garantia, como os oferecidos pelo Creditas. Dessa forma, é possível diluir o valor em um prazo mais longo, pagando uma taxa menor por ele.

 

 

 

PREVISÃO DE CUSTOS E DESPESAS

Por Francielly Hohne – CEO da Beta Fire Consultoria e Contabilidade

Previsão de Custos
Previsão de Custos

Uma vez traçado o ponto de partida, fica mais fácil de saber quanto este empreendimento vai custar para iniciar. Chamamos isso de investimento inicial e, mais lá na frente, capital social.

 

Aqui você vai colocar na sua planilha, caderneta, sistema (o que funcionar melhor com você), todos os valores, incluindo centavos. Se não tiver certeza do valor, arredonde sempre para mais.

  • Valor do aluguel ou prestação de compra do local
  • Valor de investimento em mercadorias
  • Valor de compra de móveis e decoração
  • Valor de equipamentos e sistemas
  • Valor de material

 

Estes itens representam quanto sua empresa vale em bens, patrimônio e direitos. Em outras palavras o que pode ser visto. No momento da abertura da empresa, esse valor deve ser informado ao contador. Não se iludam! O valor do capital social não abre portas para empréstimos no banco, pelo contrário, pode ser seu maior inimigo com os Sindicatos.

 

Definido todos os custos acima, façamos uma previsão dos gastos mensais:

  • Valor da Conta de água*
  • Valor da Conta de Luz*
  • Valor do Aluguel
  • Valor de Compras com fornecedores
  • Valor de Honorários Contábeis
  • Valor das Guias De Imposto
  • Pró-labore

*Solicite ao responsável do imóvel uma cópia dos últimos três meses.

 

Este passo é importante para ter noção do quanto você deve fazer mensalmente. Esses gastos serão os fatores que você deve considerar para fazer o preço do seu produto. Só à lucro quando todas as contas estão pagas.

 

E já que falamos em previsão, é indicado guardar pelo menos 30% do valor dos lucros da empresa, para futuros investimentos, necessidades e sufocos.

 

 

 

 

REDUZINDO CUSTOS EM TEMPOS DE CRISE

Por Francielly Hohne – CEO da Beta Fire Consultoria e Contabilidade

Reduza seus custos com sabedoria!

dicas para reduzir custos
Dicas para reduzir custos

 

Quando falamos em crise empresarial, logo pensa-se em demissões em massa. Mas essa pode não ser a resposta certa para tirar a empresa da corda bamba. A redução significativa dos colaboradores pode resultar em uma queda da qualidade dos serviços prestados. Logo, o público que estava acostumado com certos mimos da marca tende a estranhar. É nessa hora que o trabalho em equipe e um bom líder, capaz de motivar a equipe a vestir a camisa, faz toda diferença.

 

“Contabilmente” falando, uma rescisão pode gerar custos imprevistos pela empresa, mesmo em uma decisão a longo prazo. O mesmo valor gasto com uma rescisão (ou várias) pode ser melhor investido em outras soluções, como: ação marketing melhor elaborada, aplicar em ações de baixo risco para fazer o dinheiro render, investir nas instalações da empresa, dar uma cara nova a marca, investir em equipamentos tecnológicos para deixar a empresa mais concorrente.

 

Essas “ideias” acima, são algumas saídas para que a empresa não perca uma das suas ferramentas fundamentais, seus colaboradores. Com o tempo, serão os seus colaboradores que darão forma a empresa, pois você não poderá atender todos os clientes sozinhos.

 

Uma reunião com todo o pessoal para recolher ideias, é uma ótima sugestão para reduzir custos e manter todos motivados. Pois, quando participamos das decisões juntos, agimos juntos.

 

“Todos são peças importantes no trabalho em equipe, cada um representa uma pequena parcela do resultado final, quando um falha, todos devem se unir, para sua reconstrução. ” Salvador Faria.

CUSTO X BENEFICIO

Por Francielly hohne – CEO da Beta Fire Consultoria e Contabilidade

Custos x beneficio
Custos x beneficio

É nesta parte que sabemos inicialmente nossos gastos com fornecedores. Depois de estar bem claro nossos Público Alvo, O valor de Mercado e a Concorrência, saberemos como investir. Começar com o caixa R$ 0,00 e transforma-lo em milhões vai depender das decisões que tomará agora.

 

Imagine a seguinte situação: você vai comprar uma roupa, seu orçamento está apertado. Você se pergunta “será que preciso disso? ”. No caso da empresa, troque esta pergunta por “O que vou ganhar com isso? ”. Não é um pensamento egoísta! Todas as decisões empresariais devem ser friamente calculadas. Pense, repense, negocie, pechinche.

 

Uma boa impressora, uma mesa apresentável, papel, tinta, sistema, maquinas, computadores, enfim, todos os itens que uma empresa precisa ter, são orçados neste momento. Como saber que o custo será menor que o benefício? Fazendo contas (sim, já compre sua calculadora) e pesquisando muito.

 

Vou dar um exemplo:

Uma impressora doméstica não é o equipamento adequado para quem pretende imprimir mais de 4mil páginas por cartucho. Nesse momento temos que fazer a seguinte conta: Uma impressora maior ou comprar dois kits de cartuchos por mês.

 

Suponhamos que a impressora maior custa R$ 1.000,00 e os “cartuchos” custem R$ 80,00, fazendo 10 mil folhas.

Nós temos o custo de: R$ 0,008* por folha

Já a impressora doméstica, custa R$ 400,00, os cartuchos custem R$ 56,00 e imprimi 4 mil folhas

Nós temos o custo de R$ 0,014*

*quando há dois zeros após a virgula e um número, como demonstrado acima, significa que existe um custo menor que 0,01 centavo. Perceba que não será de graça, que a um custo, baixo, mas existe, portanto não poderíamos considerar zerado.

 

Aqui já sabemos nosso custo:

             IMPRESSORA MAIOR                                                      IMPRESSORA DOMÉSTICA

                     R$ 0,00(8)                                                                                 R$ 0,01(4)

Agora qual seria o benefício? Como enxergar esse valor?

 

Precisamos projetar isso em 06 meses a 01 ano. E será mais cálculos de custos:

Temos a seguinte situação:

Impressora Doméstica gasta 2 kits de Cartucho por Mês, no qual estipulamos por R$ 56,00. Em um mês gasto de cartucho R$ 112,00.

 

Por outro Lado, a impressora maior gasta 1 Cartucho por mês, no qual estipulamos por R$ 80,00.

Nossa economia mensal com cartucho será R$ 32,00. Consegue ver o benefício?

Calculo Custo

Custo:

Impressora maior R$ 1.000,00                                                           R$ 80,00 ÷ 10mil = 0,008

Cartuchos R$ 80,00

Fazendo 10 mil folhas.

Isso vale também para a locação e compra do local da sua empresa, dos móveis, das mercadorias.

 

Lembrando apenas que não quero influenciar ninguém a ir comprando uma fábrica equipada, com maquinas de última geração logo de cara. Ainda mais se o empreendedor não tiver dinheiro suficiente para o investimento. É preciso subir cada degrau com inteligência e não afobação. 

 

5 FERRAMENTAS QUE O EMPREENDEDOR DEVE INVESTIR NO COMEÇO

Por Francielly Hohne – CEO da Beta Fire Consultoria e contabilidade

Sair da zona de conforto, ser desafiado constantemente, pensar a longo prazo. Veja os 5 itens que todo empreendedor precisa investir para começar seu próprio negócio.

passo a passo para o sucesso
passo a passo para o sucesso

.  1. Tempo

Quanto mais tempo e energia você foca em uma atividade, mais rápido a realiza. A empresa é como um bebê, precisa passar pela gestação (período de planejamento, estudo de mercado, pesquisa de ponto), o primeiro ano de conhecimento básico de sobrevivência (você está pegando o jeito dos preços, impostos, público e criatividade). Costumamos dizer que se a empresa dura um ano, as chances de dar certo aumentam de 80% a 90%. Foque seu tempo em desenvolver maneiras de capitar seu público, tornar a marca conhecida e trabalhar muito.

 

  1. Metas pequenas, objetivos grandes

Sabe quando você quer perder aqueles quilos indesejados e desiste no primeiro mês da academia e da dieta? As gerações atuais de empreendedores sentem a necessidade de uma resposta rápida, e as chances de abrir mão de um bom negócio pela demora do retorno torna-se grande. Seja pacientemente impaciente. Paciente para esperar a hora certa de ter o retorno, e impacientemente insistente para continuar buscando melhorias a sua empresa. Faça metas pequenas, fácil de ser alcançadas, para que continue motivado a continuar.

 

  1. Foco na solução

Agora você não tem um chefe para te dizer o que fazer. É nesse momento que toda sua experiencia de mercado deve ser aplicada. Quando aparece os probleminhas (e no primeiro ano tentem a aparecer vários), foque em achar a resposta certa. Pegue concelhos com conhecidos, leia livros, matérias, informação nova nunca é demais.

 

  1. Tentar, tentar de novo, só mais essa vez….

Insista, persista, empreendedorismo é 90% transpiração e 10% inspiração. É pegar uma grande ideia e torna-la palpável. É normal falhar, é normal uma ação para capitar clientes não te dar o retorno esperado. O importante é tentar outra vez, mudar a forma.

 

  1. Automotivação

Costumo dizer que “ser empreendedor é acordar 7h da manhã na segunda e estar ás 17h da tarde na sexta com todo gás que você tem quando pensa em diversão”. Torne seu trabalho sua diversão. Motive-se todos os dias a continuar. Faça uma lista de feedbacks da semana e procure as respostas para melhorar.

Pense em quantas vezes você já desacreditou de algum conhecido quando o mesmo quis abrir o próprio negócio. A frase que você mais irá ouvir nos primeiros meses são “mas isso dá dinheiro?”. Não se apavore quando o retorno financeiro não for de imediato. O início é investimento e mais investimento, demora um pouco para que você tenha o retorno de 100% do valor inicial, então mantenha a calma e foco no objetivo.

 

 

PESQUISA DE MERCADO

conhece seu publico alvo? conhece seus concorrentes x aliados? confira as dicas abaixo!

Por Francielly Hohne – CEO da Beta Fire consultoria e contabilidade

dicas para pesquisa de mercado
Dicas para pesquisa de mercado

Público Alvo

Pode parecer fácil abrir uma loja, basta um pequeno salão ou um espaço na garagem de casa. Porém e se não for a “rota” do seu público alvo? Aqui vai uma lição muito valiosa “QUEM NÃO É VISTO, NÃO É LEMBRADO”. Você pode achar clichê, mas lembra daquela loja que você tanto gostava e não a vê mais? Por que parou de comprar nela? Será que ela fechou ou mudou de endereço?

 

Comece definindo a idade do seu público. Não será preconceito da sua loja, pelo contrário, você será expert em um público especifico. Não adianta ter de tudo e não conseguir saber o que realmente cada público precisa.

 

Definido a idade, vá desenrolando a teia: O que gosta de fazer, lugares que frequenta, músicas, vídeos, filmes, comidas…

 

Tudo isso influencia na compra dos produtos (fornecedores), na escolha da música ambiente, nos lugares que irá anunciar e no local da sua loja.

 

Concorrente X Aliados

Quem foge da briga é covarde, e você está empreendendo, você não é covarde. Não tenha medo de ter um ponto próximo ao concorrente, use isso ao seu favor. O seu público alvo irá encontra-lo com mais facilidade, não por ter seu concorrente como ponto de referência, e sim por saber que naquele lugar a uma loja que atende suas necessidades.

 

Isso não nos dá direito de ser uma concorrência desleal. Mas a frente vou explicar os custos dos produtos e vamos entender o porquê algumas lojas são tão caras. Mesmo que, por pesquisa de mercado, você pode encontrar bem mais baratos.

 

Pesquisa de Mercado

Antes de fazer seu preço, é importante fazer uma breve verificação de mercado. Não precisa fazer orçamento de todas as lojas da sua cidade ou estado, basta estar a par dos concorrentes mais próximos. Cada região tem seu preço, isso pode ser visto no IPTU, aluguel, mercadorias e afins. Para que você seja um concorrente, é preciso estar dentro dos preços.

 

Caso veja que seu produto sairá num preço bem mais elevado, troque de região, vá para um lugar onde o público que pode pagar o valor que está cobrando, vive e frequenta.

Missão, Visão, Valores

Saiba como criar uma personalidade de sucesso para sua empresa

Por Francielly Hohne – CEO da Beta Fire Consultoria e Contabilidade

Antes de qualquer item a ser visto, é muito importante construir uma “personalidade” para a empresa. O que você quer que as pessoas lembrem quando pensa na sua marca? Quais são os sentimentos que você quer instigar? Raiva? Alegria? Fome? Excitação? Tudo isso vai depender de como será a personalidade da sua empresa.

Escrever a missão, visão e valores fica bem mais fácil quando não tentamos colocar palavras organizacionais, mas usamos nossas reais intenções. Qual é o seu objetivo com esta empresa? Não vale responder “ganhar dinheiro”, isso não é uma intenção, é uma consequência de muito trabalho.

Missão-visão-e-valores
Missão visão e valores

Missão X Visão

É nessa parte que a coisa fica séria. Missão e Visão podem ter uma ideia muito parecida, mas uma serve para descrever o “porque” e o outro o “como”.

Para entender melhor:

Missão (porque): Qual é o objetivo da sua empresa para com o público?

Exemplo: Ser uma empresa humana, onde os colaboradores e clientes são valorizados, transformando o mundo em um lugar melhor para se viver.

Este item serve de norte para que os empreendedores possam manter o foco.

Visão (como): Como você pretende chegar ao seu objetivo?

– Oferecer mais acessibilidade, participar de projetos ambientais…

A visão pode mudar sempre que a empresa ache necessário.

Valores

Essa é a parte mais importante para com a sociedade. É através dos valores de cada empresa que se pode fazer novos negócios, contratar e demitir funcionários (o famoso “você não se adequa a empresa), é o que vai te brecar ou alavancar dependendo de cada situação.

No começo, os valores da empresa misturam-se muito com os da pessoa física, o que não é de todo modo ruim, mas é importante acompanhar as gerações e não se perder em tradições esquecidas.

Justiça, igualdade, desenvolvimento, comprometimento, humanidade, responsabilidade são alguns dos valores que você pode adotar na sua empresa.

Por fim, não tenha medo de mudar nenhum desses itens (missão, visão, valores). Assim como a economia do país, as empresas encontraram percursos instáveis, como a mudança das gerações e toda tecnologia e tendência que se desenvolve. Uma empresa pode ter 50 anos de mercado, porém, ficar parada nos anos 50 é suicídio!

CONHEÇA 3 PASSOS PARA TRANSFORMAR A RELAÇÃO COM O CLIENTE

Satisfazer a necessidade do cliente e oferecer o serviço de excelência, construindo um relacionamento emocional é um dos pilares para fidelizar a sua clientela. Confira mais detalhes!

por RGN

Conheça 3 passos para transformar a relação com o cliente
Conheça 3 passos para transformar a relação com o cliente

1 • Proporcione satisfação: O cliente de hoje é empoderado, deseja atenção e participação em todas as etapas da compra. Busque ferramentas que facilitam analisar seu atendimento, identificar erros e possibilidades de melhorias. A metodologia de cliente oculto ofertada pela OnYou, por exemplo, permite amplo monitoramento dos processos utilizados e possibilita insights para qualificar a assistência.

 

2 • Busque fidelização: Em média, manter um comprador constante vale dez vezes mais do que conquistar um novo. Por isso, ter clientes leais de longa data se faz tão importante para as corporações. Crie métodos de recompensas, leve em consideração seus feedbacks e torne o marketing do seu negócio um reflexo real do que tem a oferecer. 

 

3 • Conquiste fãs: Quando as pessoas são surpreendidas durante a compra, naturalmente, passam a indicar a empresa para os outros. É o que chamamos de “advogados da marca”. Aproveite essa oportunidade para implementar ações que gerem engajamento direto, com conteúdos informativos e estratégicos. Redes sociais também são canais para atrair o público, e que, apesar de parecer óbvio, esse recurso ainda é ignorado em 55% dos casos de atendimento. Não dispense a chance de interagir e pedir a opinião dos seguidores, para estar cada vez mais alinhado daqueles que compram seu produto ou serviço.